sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Intervalos 4

não há garoa
que não passe,
garota!

***

ao cair da tarde
as folhas cá 


em gotas

***

muriçocas a zunir 
no ouvido da gata
que maçada!

***

navegam na neblina
garças na lagoa
como sonhos acordados?

***

no alvo roça da manhã
as vozes despertam
a casa velha

***
no arco do olhar
o orvalho pende
a última palavra


***

dezembro
chega como um sol
espavorido na laje

***

dezembro
vem chuvas
festeiras no telhado

***

petúnias sobre o muro
suas pétalas pousam
nos cabelos dos meninos

***

na casa velha:
preto velho
fuma cachimbo
de caramelo

***

vozes das águas 
vozes do vento
vez outra silêncio

***

o capim alto à frente
foice o tempo
depois: lugar silente

***

o mormaço 
amolece à força
o corpo da tarde

***

no banco da praça
a moça se deita
entre os mendigos

***

entre a moça e a lagoa 
os araçás as garças e
o toque do berimbal

***
os araçás 
beijam a face
da velha lagoa

***

caranguejos 
na beira do mangue
e seus ganchos acrobáticos

***

debaixo da amendoeira
a menina e o tempo
se dão as mãos
(se dão em vãos)

***

no cortiço
as roupas todas lavadas -
são poemas no varal

***

são borboletas voando
ou alecrins alegrando
a tarde?

***

seixos no vento
arranham a vidraça
da casa velha

***

a bananeira 
no quintal da casa velha
soltava as folhas ao vento

***

o sol o mar a sede
e o céu pendurados
entre coqueiros 
(feito redes ao vento)

***

ano novo
sai e voa
do ovo

***

tarde parada no ar
deixo voar o dia
sempre volta mesmo!

***

a imbiribeira
arrodeia
a lagoa inteira

***

se chover
é bom correr -
na chuva pra se molhar

***

folhas secas no quintal
a moça varre
um bocado de tempo...

8 comentários:

  1. Que linda reflexão evocando a natureza no cotidiano da vida.
    Dezembro chega como um sol e vem chuvas festeiras no telhado.Entre a moça e a lagoa o toque do berimbal. No cortiço as roupas todas lavadas são poemas no Varal.....

    FELIZ ANO NOVO.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. CARA

    dedos
    mordendo
    a palavras

    deixam
    nas marcas

    carinhos
    Assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CARA

      dedos
      mordendo
      as palavras

      deixam
      nas marcas

      carinhos
      Assim

      CARO

      coro
      sozinha
      pensando

      estes
      pensares

      caríciosos
      Mim

      Excluir
  3. Oi,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por seu cantinho e muito sucesso aqui!

    Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir também,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

    Ah,tem 2 sorteios rolando por lá,participa! :)

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. no cortiço
    as roupas todas lavadas -
    são poemas no varal

    Gostei dos seus poeminhas, mas esse me agradou mais.
    bj

    ResponderExcluir
  5. preciso crer nos 3 primeiros versos... :)
    só vi beleza por aqui!

    beijos, alê!

    ResponderExcluir
  6. Alessandra
    Não permita que a jóia de sua poesia fique esquecido
    pelo tempo.

    bjs.

    ResponderExcluir
  7. [a magia da poesia
    é encher a lua vazia]



    abç

    ResponderExcluir

Investigo as vértebras da noite. Entre as fendas do tempo como escorpião espreito de soslaio a vida transitando pela casa. Pelas ruas. Corp...